AS MIL CARAS DE JOSÉ SERRA!

As 1000 caras de José Serra

Por: Vinicius Falseth*Ricardo Rangel*

Infelizmente o candidato Serra e a sua equipe criaram nas eleições deste ano uma verdadeira onda de terrorismo eleitoral através da utilização de boatos para desqualificar a adversária. Esta postura é inadmissível para um candidato que pleiteia cargo tão importante em nosso país. Contudo, ao analisar a biografia de José Serra, percebe-se facilmente que a ética e a coerência não são valorizadas por ele.

O programa eleitoral do Serra afirma que ele:

É economista, mas não é possível localizar o registro dele em nenhum conselho regional de economia do Brasil. Ele está sendo, inclusive, processado por falsidade ideológica pelo CORECON (veja aquiaqui).

Foi o melhor deputado na constituinte de 1988. Contudo, os registros mostram que ele teve uma péssima atuação, tendo votado contra os trabalhadores em diversas oportunidades (veja aqui). Sua “média” (numa escala de 0 a 10) ficou em 3,75.

Foi o criador do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). Entretanto, o verdadeiro criador do FAT foi Jorge Uequed (veja aqui).

Criou os genéricos. Trata-se de outra apropriação indevida por parte do candidato. O autor do projeto foi o ex-ministro Jamil Haddad (vejaaqui).

Criou o programa de combate à AIDS. Esta é mais uma afirmação falsa, pois o criador do programa foi Adib Jatene (veja aqui).

Criou o seguro-desemprego. Na ocasião da criação deste benefício Serra fazia parte do governo de São Paulo. O seguro foi criado pelo então presidente José Sarney (veja aquiaqui).

Ajudou a criar o plano real. Segundo o ex-presidente Itamar Franco, Serra criticou o plano real desde o início (veja aqui). Além disso, FHC ganhou o mérito de forma indevida, pois o grande responsável pelo sucesso foi o ex-ministro Rubens Ricúpero (veja aqui).

É ficha limpa. A questão é: até quando? Serra possui nada menos do que 17 processos na justiça. Um deles é por improbidade administrativa devido ao desperdício de bilhões de reais para tentar salvar bancos falidos com o PROER no governo FHC (veja aqui).

É a favor da liberdade de imprensa. Todavia, algumas ações do candidato colocam em dúvida esta questão, pois Serra desrespeitou jornalistas em diversas ocasiões (veja aquiaqui).

Vai investir em educação. No entanto, a educação em SP é péssima e, para tentar justificar, o candidato culpou, inclusive, os migrantes nordestinos (veja aqui). Além disso, Serra tem o hábito de “negociar” com os professores grevistas de forma truculenta (veja aquiaqui).

Colocou dois professores em sala de aula nas escolas de São Paulo. Esta é mais uma propaganda enganosa do candidato (veja aqui).

Vai criar o Ministério da Segurança. Contudo, os delegados de São Paulo recebem a menor remuneração do país (veja aqui).

Recentemente José Serra negou conhecer um antigo aliado (Paulo Souza – conhecido também como Paulo “Preto”) que teria desviado R$ 4 milhões de sua campanha. No dia seguinte Paulo deu uma entrevista à Folha em tom ameaçador. Rapidamente Serra recobrou a memória e partiu em defesa do antigo aliado (veja aqui aqui).

Serra cobra constantemente explicações sobre o caso Erenice. Para manter a coerência ele deveria exigir rigor nas investigações das denúncias sobre o grande escândalo protagonizado pela filha Verônica Serra. A filha de Serra fundou uma empresa (Decidir.com) em sociedade com a irmã do banqueiro Daniel Dantas (Verônica Dantas). Devido a uma falha no sistema, os dados de quase 60 milhões de correntistas
brasileiros ficaram expostos à visitação pública na internet (veja aqui eaqui).

José Serra não tem o hábito de honrar as promessas feitas durante a campanha. Nas eleições de 2004 para a prefeitura de São Paulo o candidato se comprometeu, caso fosse eleito, a cumprir o mandato até o
fim. No entanto, algum tempo depois, ele deixou a prefeitura para se candidatar ao governo do estado (veja aqui).

Os eleitores precisam avaliar uma questão importantíssima: qual é a verdadeira cara de José Serra? Em qual Serra as pessoas irão votar: o da grande mídia (televisão e jornais) ou o do mundo real? Esta resposta irá determinar o rumo do nosso país nos próximos quatro anos.

* Vinicius Falseth é Analista de sistemas

* Ricardo Rangel é Engenheiro de produção

Anúncios
Esse post foi publicado em Baixaria, Serra Mil Caras e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s